OBRIGADO PELA VISITA

OBRIGADO PELA VISITA

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

UM AMIGO Á CONVERSA C/ A NETA



Avô não é tão velho assim….

Hoje nasceu a minha neta! Foi-me apresentada às 6 da tarde! Eu disse-lhe bemvinda a este mundo. Ela olhou-me e perguntou:

- Quantos anos tens, avô?

- Deixa-me pensar um pouco…

Nasci antes da televisão, das vacinas contra a pólio, das comidas congeladas, fotocopiadora, lentes de contacto e da pílula anticoncepcional.

Não existiam radares, cartões de crédito, raio laser, nem sequer patins em linha.
Não se havia inventado o ar condicionado, máquina de lavar e secar (as roupas simplesmente secavam ao sol e ao vento).

O homem nem pensava que seria possível chegar à lua, “gay” era uma palavra inglesa que significava uma pessoa contente, alegre e divertida, nunca homossexual!
De lésbicas nunca havíamos ouvido falar e rapazes nem sequer usavam brincos, quanto mais piercings!

Nasci antes do cumputador, cursos universitários e terapias de grupo!

Até aos 25 anos, sempre tratei cada homem por “senhor” e cada mulher por “senhora” ou “dona”.

No meu tempo virgindade não era uma doença!

Ensinaram-nos a diferenciar o bem do mal, a ser responsáveis pelas nossas acções.
Acreditavamos que “comida rápida” era o que a gente comia quando estava com pressa!

Ter um bom relacionamento era darmo-nos bem com a familia e com os amigos!
Tempo partilhado significava que a familia fazia férias, passeava e brincava junta!

Não conheciamos telefones sem fios, muito menos telemóveis!
Não tinhamos ouvido falar de música estereofónica, rádios FM, CD’s – DVD’s, máquinas de escrever eléctricas, calculadoras (nem mecânicas, quanto mais as portáteis).
Notebook era o nosso livrinho de notas!
Aos relógios dava-se corda todos os dias. Nada era digital, nem relógios, nem indicadores com números luminosos!

Não havia cafeteiras automáticas, micro-ondas, rádio-relógio-despertadores, não havia cassettes de video e máquinas de filmar. As fotos não eram instântaneas e nem sequer coloridas. Sómente preto e branco e a revelação demorava 3 dias!

Se tivesse algo “Made in Japan” não se considerava de má qualidade e não existia “Made in Korea”, “Made in China” ou “Made in Taiwan”!
1/2
Não se houvia falar de Pizza Hut, Mc Donald’s, nem café instântaneo!

Compravam-se muitas coisas por alguns centavos, como por exemplo sorvetes, refrigerantes como os pirolitos e o bilhete de eléctico!

No meu tempo “erva” era algo que se cortava e não se fumava!
“Hardware” significava ferramenta, o “Software” não existia!
Fomos a última geração que acreditou que uma senhora precisava de um marido para ter um filho!
- Então quantos anos achas que eu tenho?
- Ei avô! Sei lá mais de 200, não?

- Não minha querida, não sou tão velho assim, tenho sómente 60!

6 comentários:

xana disse...

ta um espectaculo.. :)

Bjoca grande

Anónimo disse...

Lindo...

Beijinhos,
Irina

Anónimo disse...

Espectacular!! Num ápice.. regressei aos meus 5 anos! e mta coisa ainda faz parte tb do meu passdo.. beijoca Nelito

Sandra Alves

Anónimo disse...

Está muito fixe!Eu não tenho 60 anos e no entanto revejo-me na maior parte das coisas...
Beijos
Carla Silva

IsaMar disse...

interessante o seu texto, emotivo até! jinhos meus e bfsemana

xana disse...

Li a primeira vez, voltei a ler,
e nao me canso de ler...
porque a viagem que a minha mente faz, faz-me querer voltar a ler...

Obrigado, pai!!